mau-halito.jpg

MAU HÁLITO OU HALITOSE 

Mau hálito ou halitose é um problema que pode comprometer até 30% da população geral. É definido como o mau cheiro da boca em um nível acima do que é socialmente aceito. 

A maior parte dos casos de halitose derivam de causas que ocorrem dentro da própria boca estando associados a problemas gengivais e dentários, ainda que a língua também seja uma origem importante para o problema. 

O mau cheiro deriva comumente da produção de compostos voláteis de enxofre causados por diferentes tipos de bactérias. É importante no entanto sempre diferenciar três tipos diferentes de halitose. 

 

Halitose fisiológica é aquele cheirinho mais forte que ocorre principalmente pela manhã já que durante o sono diminui o fluxo de saliva e os movimentos naturais da boca. 

 

Existe a halitose patológica em que a partir de investigação médica ou odontológica se encontra uma causa para o mau cheiro.

 

Ainda há as falsas halitoses. Por vezes o paciente sente um gosto ruim na boca mas que não se traduzem em mau cheiro ou, em outras situações, há um temor do paciente de ter mau hálito e isso gera ansiedade e preocupação.

 

Além das patologias de cavidade oral, a halitose pode prover também de causas clínicas como pode ocorrer em formas avançadas de doença dos rins ou do fígado. Em condições menos comuns, pode ter sua origem e causas gástricas.

 

Otorrinolaringologista tem o seu papel na avaliação e tratamento das halitoses, pois por vezes doenças amigdalianas, condições que determinam boca seca ou ainda outras doenças da via aérea superior podem determinar a ocorrência de mau cheiro.

AUTOR

Dr. Rodrigo Jorge Nishihara

OTORRINOLARINGOLOGISTA COM ESPECIALIZAÇÃO EM LARINGE E TRANSTORNO DA VÓZ.