Otite Externa: A dor de ouvido do verão

A otite externa é uma infecção do canal auditivo externo, isto é, da pele do pertuito que vai desde do orifício externo do ouvido até a membrana do tímpano. Ela é causada por bactérias e fungos e surge da combinação entre contato com a água, calor e traumas locais como manipulação do ouvido com dedo, cotonete ou grampo de cabelo. Sendo assim, é mais comum no verão quando por conta das férias há maior exposição à água e por conta do caloro calor é mai intenso.

O uso de cotonete ou introdução de qualquer outro objeto no ouvido, incluindo o dedo,  podem causar lesões na camada de pele que reveste o canal auditivo, servindo como porta de entrada para uma infecção. Além disso, esses objetos, por vezes, removem a cera que, além de funcionar como uma barreira mecânica à entrada de microorganismos, possui propriedades antibióticas naturais. Um fato curioso é que graças a Otite Externa e a formação de rolhas de cerume que o cotonete ganhou sua má fama entre os médicos otorrinos.

O principal sintoma é a dor no ouvido que piora com a manipulação, podendo ocorrer a saída de secreção e sensação de tampado em virtude do edema (inchaço) do canal que obstrui a passagem do som. O diagnóstico é feito através da otoscopia, que é um exame visual do ouvido. Neste,  observa-se o edema e a hiperemia (vermelhidão) do canal auditivo, além da presença de secreção. Pela localização, intensidade e características da secreção, associado à história clínica, é possível dizer se é uma otite externa bacteriana, fúngica ou ainda um abscesso do ouvido externo.

O tratamento envolve o uso de antibióticos, que são aplicados  através de gotas no canal do ouvido associado a anti-inflamatórios e analgésicos orais, para alívio da dor. Além disso, o próprio Otorrinolaringologista costuma fazer uma limpeza da secreção do conduto e aplicação de medicações no canal, o que permite que os remédios tópicos tenham uma ação mais eficiente. Em alguns casos mais graves, optamos por associar o uso de corticoides e antibióticos orais e em raros casos há necessidade de internação.

Como a  água e o calor favorecem a multiplicação dos micro-organismos, é importante manter o ouvido seco e evitar o uso de cotonetes que podem machucá-lo ainda mais.

AUTOR

Dra. Ana Mariana Pinho

OTORRINOLARINGOLOGISTA SUB-ESPECIALISTA EM PATOLOGIAS DO OUVIDO E DISTURBIOS DE LINGUAGEM

Endereço
Sobre nós

Agendamentfácil:

Quem somos
(11) 94764-3684
A clinica

(11) 94764-3684

Av. Min. Gabriel de Rezende Passos, 500.   11º AdSl. 1117. Moema - SP - CEP: 04521-022 
WhatsApp 11 94764-3684
© 2020 atualizado por OtoLiv Otorrinolarinlogia clínica e cirúrgica
O que fazemos

Otorrinolaringologia

Chat, 9 às 17:00 horas
Chat
email consultorio@otoliv.com.br

Otoliv otorrinolaringologia | Clínica | Quem somos | Artigos | Agendamento | Convêinios | Contato |